23/04/2014

Projeto promove inclusão social através da gastronomia (por @AlineKelly)

"A gastronomia é capaz de transformar vidas".
O setor de alimentos e bebidas têm um imenso potencial de transformação, movimenta 9,3% do PIB brasileiro. Então por que não usar o poder da gastronomia, a comida e todos os seus elementos para transformar a sociedade, unir as pessoas e ajudar a diminuir a desigualdade social?

E foi pensando nisso que nasceu a  Gastromotiva, organização sem fins lucrativos que promove inclusão social por meio da gastronomia.

Em sete anos de atuação, mais de 800 alunos se formaram no curso. O programa gratuito de capacitação tem como foco jovens de baixa renda entre 18 a 35 anos, com talento para cozinha e que estão fora do mercado de trabalho. Saiba mais no vídeo:



Minha amiga Adriana Souza, autora do blog Receitas Diah's, está participando da turma carioca deste ano e contou um pouco do que essa formação tem sido para ela:

A Gastromotiva está sendo um divisor de águas para mim. Sempre quis me profissionalizar na área, e como não tive oportunidade de fazer faculdade ou um outro curso de gastronomia, vi na Gastromotiva essa chance. São três meses de muito aprendizado e  incentivos para nos tornar bons profissionais de cozinha no futuro breve, que além de saber cozinhar, sabe acima de tudo trabalhar em equipe e lidar com as dificuldades que todo restaurante tem.
Foto de divulgação, a Adriana é a primeira da direita para a esquerda

Além dos cursos de capacitação, a Gastromotiva realiza também eventos e projetos, como o Multiplicadores e a Rede Empreendedores de Comunidades, procurando sempre inovar e criar diferentes oportunidades para promover e disseminar o potencial, poder e responsabilidade da gastronomia como um agente capaz de transformar vidas e lugares.

22/04/2014

Vantagens para quem usa fontes renováveis de energia


Você sabia que uma resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) garante que os consumidores que usarem fontes renováveis para produzir a energia de suas próprias casas tenham desconto na conta de luz?

A agência criou um sistema de compensação para possibilitar a microprodução de energia por geradores a biocombustíveis, placas solares e minicentrais hidrelétricas, por exemplo.

Por sugestão do Greenpeace, a validade dos créditos de compensação determinado no texto da resolução aumentou de um para três anos, dando aos pequenos produtores de energia renovável mais tempo para recuperar seus investimentos.

A nova resolução coloca o Brasil no patamar de boa parte dos países do mundo, onde há incentivos tarifários para aumentar o uso das fontes renováveis. Entretanto, apesar de ser considerada um avanço por estabelecer as regras para a produção de energia limpa em pequena escala, a determinação da agência apresenta um e outro ponto que pode ser melhorado.

Um deles seria a criação de uma linha de crédito para o financiamento de equipamentos para quem decidir investir na produção de energia renovável. Isso estimularia as pessoas a produzirem energia limpa e impulsionaria as indústrias do setor. Também há um teto para a produção, que permite a casas e condomínios produzirem apenas a quantidade de energia que consomem.

Para alavancar o potencial de produção solar do país, a Aneel determinou, ainda, um desconto de 80% nas tarifas de distribuição e transmissão de energia gerada por essa fonte. Nas demais renováveis, o desconto fica em 50%.

10/04/2014

Qual a força das evidências a favor da atividade física no controle do peso?




Li esta conversa com o Dr. Steven Blair no site do Instituto de bebidas para saúde e bem estar da Coca-Cola e gostei muito!

Os benefícios da atividade física para a saúde são inúmeros e vão além do controle do peso. Mesmo assim, muita gente não se exercita regularmente. Os Estados Unidos e a União Europeia publicaram diretrizes sobre atividades físicas em 2008. Desde então, as evidências a favor do papel da atividade física na saúde continuam a crescer.

O Beverage Institute for Health and Wellness (BIHW) da The Coca-Cola Company conversou recentemente com o renomado pesquisador Steven Blair, PhD, da Universidade da Carolina do Sul e trouxe um novo olhar sobre atividade física e saúde, bem como suas perspectivas sobre como motivar o público a ser fisicamente mais ativo.

A força da evidência varia dependendo se o objetivo final a ser avaliado é a perda de peso, a manutenção do peso após o emagrecimento ou simplesmente a prevenção do ganho de peso.
Há forte evidência apoiando o papel da atividade física na prevenção do ganho de peso e está claro que as pessoas que adotam a atividade física perdem mais peso ao longo das semanas e meses do que com uma simples restrição calórica. Contudo, em pessoas acima do peso ou obesas, a restrição calórica aparentemente é mais eficaz do que a atividade física, pelo menos inicialmente. Bem, se pensarmos nisso, faz bastante sentido. Para alguém acima do peso ou obeso e fora de forma, uma redução de 500 ou mais calorias na ingestão calórica pode ser mais viável do que realizar atividades suficientes para queimar a mesma quantidade de calorias por dia. Entretanto, com pequenos aumentos da atividade física, os níveis de condicionamento também melhoram gradualmente, e mais calorias podem ser queimadas através da atividade física de maior intensidade e de maior duração.
Em termos de manutenção do peso após o emagrecimento, a atividade física parece desempenhar um papel fundamental, embora ainda não haja testes randomizados. Segundo pesquisas, pessoas que perderam mais de 50 libras (23 quilos), ou mais de 5% do peso corporal, e foram capazes de manter o peso por mais de dois anos, se engajam em grandes volumes de atividades físicas. Muitas pessoas precisam executar mais de 300 minutos de atividades de moderada intensidade por semana para prevenir o reganho do peso.

09/04/2014

Pizza Tour de NY no Congresso Internacional de Pizza




São Paulo é a capital da pizza? Não sei, mas nesta semana acontece por aqui o Congresso Internacional da Pizza e um dos convidados traz uma ideia que deveríamos trazer para cá: o tour da pizza. 

Criador do Pizza Tour, que leva turistas para conhecer e comer as melhores pizzas de Nova York, Scott Wiener é um amante das pizzas, autor do livro “Viva La Pizza! The Art of the Pizza Box”, que fala do seu recorde de coleção de caixas de pizza do mundo todo.



Como ele teve esta ideia? 

Durante a faculdade percebendo as diferenças culturais no mercado de pizzas nos EUA, Scott reuniu alguns amigos para fazer a “excursão da pizza”. Seis meses mais tarde, lançou o Scott’s Pizza Tours, 6 anos depois alcançou mais de 25.000 visitantes turísticos. Atualmente escreve uma coluna premiada para Pizza Today e PMQ Magazine as duas maiores revistas do segmento nos EUA. Participa como jurado de concursos de culinária em todo o país, foi  destaque no Travel Channel, Cooking Channel, Food Network, Discovery Channel , Wall Street Journal, New York Magazine.

2º Edição Congresso Internacional de Pizza


O Congresso Internacional de Pizza (Conpizza) acontece entre os dias 9 e 11 de abril de 2014, no Transamérica ExpoCenter, e será simultâneo ao evento da  Food Hospitaly World. O evento é gratuito e possui um conteúdo totalmente independente, sem intuitos comerciais, realizado pela a Associação Pizzarias Unidas, que representa o setor há mais de 10 anos, e organizado por empresários e consultores com experiências de mais de 20 anos em Pizzarias e Food Service. 

A agenda traz palestras internacionais com sistema de tradução simultânea, palestras de consultores renomados do mercado de pizzas, consultores promovendo workshops – o ConPizza reunirá grandes nomes do mercado com a Pizza Hut, a Patroni Pizzas, e muitos outros restaurantes líderes do segmento.

Saiba mais no site do evento www.conpizza.com.br

08/04/2014

Multiplus Sabores agora com o melhor da gastronomia de Sampa

Quem não quer almoçar ou jantar de vez em quando naquele restaurante preferido? 

Vida de gourmand é fogo: a gente começa a conhecer restaurantes legais e logo começa a "viver" para comer... comer bem, é claro! 

O complicado é sustentar este "vício bom", né?



Pois a Multiplus está resolvendo este probleminha com a nova opção de resgate de pontos aos participantes da rede: o Multiplus Sabores. Além da mecânica já existente, de acumular pontos nos restaurantes parceiros da rede, agora também é possível experimentar o melhor da gastronomia da cidade de São Paulo utilizando pontos Multiplus. 

Para aproveitar essa novidade, basta acessar a página Multiplus Sabores, localizada no site da Multiplus, selecionar o estabelecimento e menu de preferência, resgatar com seus pontos e imprimir o voucher. O almoço equivale a 2.350 pontos Multiplus e o jantar, a 2.950. Também está disponível para resgate o voucher Premium, com pratos sofisticados, a 4.600 pontos.



O Multiplus Sabores oferece diversas opções de menus que agradam a todos os paladares, como culinárias árabe, argentina, francesa, italiana e japonesa. São mais de 36 restaurantes espalhados por toda a cidade de São Paulo. A relação de estabelecimentos parceiros compreende desde os mais tradicionais – como Don Curro, Baby Beef Rubaiyat e Speranza – até os mais badalados – como Limonn, Coco Bambu e Bistro Faria Lima. Para conhecer os menus disponíveis, bem como as condições de cada estabelecimento participante, basta acessar o site pontosmultiplus.com.br/sabores.

07/04/2014

Quatro áreas em que o Banco Mundial promete ajudar a combater a mudança climática

Não foi "a" notícia da minha timeline hoje, mas deveria ter sido.

Banco Mundial prevê guerra por comida e água nos próximos anos

As batalhas por alimento e água devem eclodir dentro de cinco a dez anos, devido ao efeitos das mudanças climáticas. A projeção do presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, foi feita durante entrevista ao jornal britânico The Guardian.



Ele pediu que ativistas e cientistas trabalhem em conjunto para criar uma solução para este problema global, e usou o exemplo do HIV para demonstrar como a união de esforços pode resultar em soluções mais rápidas e mais eficazes.

A fim de manter o aquecimento global abaixo do limite acordado internacionalmente, de 2 graus Celsius, Kim observou que o mundo precisa de um plano para mostrar que está comprometido com a meta.

Ele delineou quatro áreas em que o Banco Mundial poderia ajudar a combater a mudança climática: investir em cidades mais limpas e sustentáveis, encontrar um preço estável para o carbono, reduzir os subsídios aos combustíveis fósseis e desenvolver uma agricultura mais inteligente e resistente ao clima.



Os comentários de Kim seguem a publicação da segunda parte do quinto relatório do Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que advertiu que nenhuma nação ficaria intocada pelo aquecimento global.

O relatório também alertou para os efeitos que as mudanças climáticas teriam sobre os preços dos alimentos, assim como em muitas outras áreas, como recursos hídricos. A produtividade agrícola pode cair 2% por década até o final do século, ao passo que a demanda deverá aumentar 14% até 2050.

31/03/2014

Apóie o PazCoa no Alemão



Todo ano na Páscoa é a mesma coisa aí na sua casa, não é? Os pais compram chocolates para os filhos e eles passam o domingo de Páscoa se deliciando de tantooooooo chocolateees. 

Será?

Aqui em casa não é assim, fazemos nossos blends de chocolates e preparamos alguns bombons e ovos com os filhos, enfatizando a atividade em conjunto e não a quantidade de doces.

Mas criança quer doce! 

Para alegrar mesmo quem não tem tanta dedicação da família, nosso amigo Renê Silva (fundador do Voz da Comunidade) criou o PazCoa no Alemão. 

Ele conta:

"A iniciativa surgiu em 2009. Muitas crianças da minha rua não ganhavam chocolates na Páscoa. Comecei a pedir apoio dos comerciantes locais para poder comprar vários chocolates e distribuir para a criançada. Os anos foram se passando e o número de crianças aumentando, tive que chamar outros amigos para fazer parte da equipe e assim conseguir ajudar mais crianças."

Em 2010 arrecadaram 180 chocolates, no ano seguinte foram 1.800, em 2012 distribuímos 2 mil, no ano passado 3 mil, e o objetivo deste ano é dobrar para 6! Vai entrar com a gente nessa campanha e ajudar também?

É muito simples ajudar! Você tem três opções para contribuir, veja abaixo:
PONTOS DE ARRECADAÇÕES

Caixa de bombom ou ovo de chocolate você pode deixar nos seguintes endereços na cidade do Rio:

ZONA SUL - Avenida Rainha Elizabeth, 244 – Copacabana (posto 6) – aos cuidados de Pedro (021) 99487-9479 /// ZONA OESTE - Rua Monodora, 264 – Gardênia Azul, Jacarepaguá – aos cuidados de Igor (021) 96981-7434 /// ZONA NORTE – BellaUp no Shopping Nova América (4º andar no Centro empresarial).

DEPÓSITO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA:

Banco Santander
Ag.: 0925
C/C: 01000534-1
Titular: Rene Silva dos Santos (criador da ação e do voz da comunidade)

Saiba mais no Voz da Comunidade http://www.vozdascomunidades.com.br/geral/a-campanha-pazcoanoalemao-2014-esta-no-ar-faca-sua-doacao-ja/


25/03/2014

Cientistas criam roupa que simula os perigos de dirigir embriagado

Embora a gente saiba que ‘se beber, não dirija’, ainda é alto o número de jovens que já dirigiram embriagados ou viram seus amigos dirigirem assim.

Para que as pessoas possam experimentar, com sobriedade e em segurança, como as habilidades são afetadas pelo álcool, a Ford desenvolveu uma “roupa de motorista embriagado”, que simula as dificuldades de visão, coordenação e equilíbrio experimentadas por quem exceder a dose e assumir o volante.

O traje, elaborado em parceria com uma empresa especializada na Alemanha, é composto de óculos com visão de “túnel”, tampões de orelha, pesos no pulso e no tornozelo e ataduras nos cotovelos, pescoço e joelhos. Ele torna mesmo tarefas simples – como andar em linha reta – muito mais difíceis e demonstra como uma atividade muito mais complexa, como dirigir, é afetada pelo álcool, como ilustra este vídeo.

De acordo com a Comissão Europeia, o álcool é um dos principais fatores que contribuem para os acidentes de trânsito envolvendo principalmente motoristas jovens. O levantamento também indica que 25% de todos os estabelecimentos comerciais nas estradas da Europa estão relacionados ao álcool.

“A Roupa de Motorista Embriagado é uma solução inteligente para que as pessoas possam experimentar, com sobriedade e em segurança, como suas habilidades são significativamente afetadas pelo álcool”, diz Barb Samardzich, chefe de operações da Ford Europa. “Ela mostra às pessoas como atividades simples se tornam muito mais difíceis e ensina os perigos de beber e dirigir. Uma lição importante especialmente para os jovens, hoje as grandes vítimas dessa situação.”

“As pessoas que testam a Roupa de Motorista Embriagado pela primeira vez logo descobrem a dificuldade de realizar tarefas do dia a dia – como pegar um copo ou digitar um número no telefone”, diz Gundolf Meyer-Hentschel, presidente e fundador da empresa. “Ela é um instrumento poderoso para reforçar a mensagem do que pode acontecer quando se dirige sob os efeitos do excesso de álcool.”



Uma pesquisa realizada pela Ford mostrou que mais da metade dos motoristas jovens na Europa afirmam já ter dirigido após consumir álcool, ou viram amigos dirigir dessa forma. A pesquisa com 5.000 motoristas de 18 a 24 anos de idade também revelou que 32% já aceitaram carona de um motorista que estava sob o efeito do álcool e 66% não sabem o limite legal de ingestão de álcool para dirigir no seu país.

A Ford encomendou a pesquisa para entender melhor os hábitos e atitudes dos motoristas jovens em relação a beber e dirigir. O estudo com motoristas da França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido apontou que os homens jovens na Espanha (74%) eram os mais propensos a dirigir depois de beber, ou ver amigos beber e dirigir, à frente dos homens jovens da Alemanha (65%) e França (64%). No geral, 26% dos que admitiram ter dirigido embriagados acreditam que poderiam dirigir com segurança.

“Beber e dirigir é uma combinação potencialmente letal e os resultados dessa pesquisa destacam a importância de reforçar essa mensagem, principalmente para os motoristas jovens”, diz Barb Samardzich.

Gostou? Então veja no vídeo (em inglês) como funcionou na prática.



A técnica de simulação teve contribuição dos cientistas do Instituto Meyer-Hentschel da Alemanha, empresa especializada na pesquisa dos efeitos da redução da mobilidade. A Ford já produziu também uma “Roupa da Terceira Idade” e uma “Roupa de Grávida” (sobre a qual comentei no post da Disney Babble) para entender melhor as necessidades dos motoristas idosos e gestantes.


18/03/2014

Coca-Cola, Nestlé e Unilever lideram ranking de boas práticas na cadeia produtiva




Na semana do consumidor, que tal pensar no impacto social e ambiental dos produtos que consumimos?

A ONG internacional Oxfam realiza anualmente um ranking que mede os impactos sociais e ambientais das empresas em sua cadeia produtiva. Após pressão feita pela ONG, nove das dez maiores empresas de alimentos e bebidas em todo o mundo melhoraram suas políticas de compras com impactos sociais e ambientais em suas cadeias de fornecimento ao longo dos últimos doze meses. 

As três empresas com melhor desempenho – Nestlé (1º lugar), Unilever (2º lugar) e Coca-Cola (3º lugar) – alcançaram suas posições com as melhores margens, respectivamente 10, 14 e 13%.

A avaliação foi feita no primeiro ano do ranking de políticas empresariais da campanha Por trás das Marcas, lançado pela Oxfam em 26 de fevereiro de 2013, e mostrou que algumas empresas líderes do setor alimentício fizeram grandes avanços para a melhoria de políticas de compras de matérias primas envolvendo toda a cadeia de fornecimento, com impacto nos direitos à terra, direitos das mulheres e na redução das emissões de carbono.

“Essas mudanças nas políticas são um primeiro passo rumo a melhores práticas e menos fome, menos pobreza e menos danos ambientais, impactando as comunidades envolvidas na cadeia de fornecimento das empresas do setor alimentício”, afirmou Simon Ticehurst, diretor da Oxfam no Brasil.

O Por trás das Marcas é um ranking que classifica as “Dez Grandes” de acordo com suas políticas sobre transparência (origem de suas matérias primas), gênero (situação das mulheres produtoras), trabalhadores (condições de trabalho), agricultores impactados, acesso a terras, à água e impactos no clima. 

12/03/2014

Taxa de obesidade infantil tem queda de 43% nos EUA - mas o Brasil continua crescendo!

Hambúrguer, refrigerante, pizza, batata frita, sorvete, bolacha, chocolate. Seja nos corredores dos supermercados, nas praças de alimentação, ou mesmo em casa, diante da TV, o apelo do fast-food e das guloseimas é enorme – e responsável pelo desequilíbrio da dieta das crianças e aumento dos índices de sobrepeso. Os Estados Unidos conseguiram diminuir a taxa de obesidade infantil pela primeira vez na última década. A boa notícia vem de um estudo divulgado na Revista da Associação Médica Americana (Jama, em inglês), que mostra que, hoje, um em cada três americanos apresenta obesidade durante a vida adulta – o número se manteve estável nos últimos dez anos. 


Em 2004, 14% dos americanos entre 2 e 5 anos de idade eram consideradas obesos. Atualmente, o número caiu para 8%, ou seja, uma redução de 43%. O motivo da queda ainda não é totalmente conhecido, mas os pesquisadores acreditam que se deve, principalmente, à diminuição do consumo de bebidas açucaradas e ao aumento da amamentação no peito.


“A obesidade está associada à má alimentação e à falta de atividade física”, explica Louise Cominatto, endocrinologista infantil do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas (SP). Segundo a médica, existem fatores associados à doença desde a gestação, como o excesso de ganho de peso da mãe. “Crianças que não mamam no peito e que são introduzidas precocemente a alimentos muito calóricos também tendem à obesidade”, diz.


A queda da obesidade infantil nos EUA indica uma tendência positiva para a saúde das crianças. “No curto prazo, a obesidade traz problemas de adaptação social, como o bullying que as crianças podem sofrer”, diz Lucas Zambon, clínico-geral e supervisor do pronto socorro do Hospital das Clínicas (SP). Segundo ele, quem cresce obeso está mais sujeito, no futuro, a doenças como diabetes e hipertensão.




A doença tem se espalhado tanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) a considera uma epidemia global. 


“A obesidade pode ser chamada de epidemia porque atinge um grande número de pessoas, de diversas faixas etárias, em todo o mundo”, explica Zambon.


Enquanto nos Estados Unidos as crianças estão contornando o problema, a situação no Brasil continua preocupante. Os números mais recentes são de 2009, divulgados pelo IBGE, para a faixa de 5 a 9 anos de idade. Segundo o levantamento, naquele ano, o Brasil tinha 16,6% de meninos obesos e 11,8% de meninas obesas.


“Hoje em dia, os pais perdem a noção do peso dos filhos. Muitos não fazem as visitas de rotina ao pediatra, não pesam, não medem. Quando a criança já está obesa, é mais difícil de tratar”, diz Louise. Por isso, a receita para evitar problemas com a balança é aquela que você já sabe: alimentação saudável. Afinal, prevenir é sempre a melhor solução.