30/08/2014

É preciso plantar comida em casa para ser feliz e reduzir o consumo?


A autoprodução de comida foi tema de uma das oficinas da Virada Sustentável 2014. Organizada por Giulia Giacchè, do Movimento per la Decrescita Felice di Padova (Itália), a oficina, parte da programação do projeto É Possível ser Feliz Decrescendo?, tem como objetivo estimular a reflexão sobre os hábitos alimentares e fomentar o conhecimento sobre a agricultura orgânica e sinérgica. Para isso ensinou na Virada Cultural toda a cadeia de produção de uma horta caseira (compostagem, preparação da terra, adubação verde, semear, plantar, cuidados com a horta).


É preciso plantar comida em casa para ser feliz e reduzir o consumo? 


Estudiosos consumeristas que combatem o consumo exacerbado, desmesurado, descontrolado, desnecessário discutem o tema e colocam esta questão como um desafio: encontrar modos de realização dessa utopia. 


Como tornar as pessoas mais felizes, com mais tempo? Talvez, indicando os caminhos da simplicidade; da volta à natureza; do prazer em admirar a beleza das flores e dos jardins; e do sol, quando nasce e quando se põe; e também da lua em todas as suas fases e formas; com a alegria da aproximação com os amigos e da convivência em família, enfim, das coisas que valem a pena, independentemente de estarem sendo anunciadas e vendidas em shopping centers ou lojas reais e virtuais com preços à vista ou a prazo.


Mas não incentivar o consumo é ir contra toda política econômica da atualidade, cuja manutenção e crescimento são baseados quase que exclusivamente no consumo e que, aliás, por isso mesmo está destruindo o planeta. Nesta linha, é atirar no próprio pé, afinal, como vamos nos sustentar sem uma economia pulsante? 


Creio que a questão não é feliz sem consumir. É buscar um consumo consciente. Se o consumo decrescer porque as pessoas que estão felizes, certamente encontrar-se-á outro caminho, e até mais justo, equilibrado e que respeite a natureza e as pessoas visando à manutenção do progresso tecnológico e econômico.


Eis, pois, essa teoria para reflexão: mais felicidade, menos consumo.


#avidaquer #agentenaoquersocomida  www.avidaquer.com.br 

25/08/2014

Você sabe quanta cafeína você pode ingerir por dia?



A cafeína, indispensável para muitas pessoas, tem efeitos sombrios se ingerida em exagero. O indivíduo se sente nervoso, trêmulo; tem dificuldades para adormecer e ter um sono de qualidade. O coração acelera, a pressão arterial sobe, surgem dores. Ele fica desidratado e, pior, dependente: quer mais cafeína para se manter desperto e disposto.

Quanta cafeína, exatamente, uma pessoa pode ingerir sem se arriscar a todos esses efeitos colaterais?

Adultos saudáveis podem consumir até 400 miligramas de cafeína diariamente sem nenhum risco à saúde. 
(dados do FDA, o órgão do governo americano que monitora e regula alimentos e remédios)


É seguro beber até:

- 3 xícaras de 150 ml de café (cada uma tem de 60 a 150 mg de cafeína)
- 5 shots de 30 ml de café espresso (cada um tem 80 mg de cafeína)
- 2 shots de energético concentrado para cinco horas (cada um tem 200 mg de cafeína)
- 5 latas de 250 ml de energético (cada uma tem 80 mg de cafeína)
- 11 latas de 350 ml de Coca-Cola (cada uma tem 34 mg de cafeína)
- 8 xícaras de 150 ml de chá verde (cada uma tem de 10 a 50 mg de cafeína)


Esses são limites diários, mas pegue leve. 

E vale relembrar:

A cafeína é contra-indicada para crianças de até 12 anos e limitada em até 100 mg para adolescentes de 13 a 18 anos — eles podem beber praticamente um quarto de cada um dos itens listados. 


Quem tem problemas no coração também precisa consumir menos, 200 mg diários, para não agravar a condição.

Não se provou até hoje que a cafeína cause essas doenças, mas é fato que ela acelera a batida cardíaca, razão para se tomar cuidado redobrado. Se não quiser arriscar e gostar do sabor, você sempre pode optar pela bebida descafeínada.


22/08/2014

Receita da semana: Creme de milho vapt-vupt preparadopor @giorgiobros #aos11 #2nerdsnacozinha


Fala galera, beleza? 
Hoje no #2nerdsnacozinha tem uma receita de creme de milho verde preparada por @giorgiobros para acompanhar um peito de frango desfiado preparado pela #maecomfilhos @samegui. 

A receita: no liquidificador, 1 lata/caixinha de milho verde até virar um creme. Depois aqueça uma panela, derreta 1 colher de sopa de manteiga e refogue meia cebola picada. Adicione 1 colher de sopa de farinha de trigo e mexa rapidamente -no truque é dissolver a farinha na manteiga quente, evita empelotar. Deixe dourar ligeiramente, misture o milho batido com o leite, e tempere com sal e ervas que você goste. Cozinhe por uns 10 minutos em fogo baixo ou até engrossar. Quando desligar misture 1 caixa de creme de leite. 

Aqui em casa usamos para cobrir o peito de frango desfiado e levamos ao forno para gratinar. Fácil, né? 

21/08/2014

Fim de semana terá Festival de Food Truck na Zona Norte de São Paulo


Direcionado para toda a família, festival organizado pelo guia "Food Truck nas Ruas" oferecerá comidas de rua gourmet, com um variado cardápio gastronômico para todos os paladares

Neste final de semana acontece a segunda edição do “Festival Food Truck nas Ruas” e espera-se mais de 4 mil pessoas durante todo o domingo na Zona Norte de SP. Em uma área de mais de 2 mil metros quadrados estarão reunidos 25 expositores – entre caminhões de comida e barracas –, que vão ocupar boa parte do estacionamento da BW Academia, localizado na Rua Mateus Leme, 114, em Santana. 

Na primeira edição, em 3 de agosto, mais de 6 mil apaixonados por gastronomia compareceram ao evento que começa as 11h e vai até as 19h

Direcionado para toda a família, o festival organizado pelo guia “Food Truck nas Ruas”, oferecerá ‘comidas de rua’ gourmet, com um variado cardápio gastronômico para todos os paladares. O público poderá encontrar comida japonesa, paletas mexicanas, pudins, lanches e bebidas naturais, pastas e pizzas, hambúrgueres, comida árabe, além do famoso cachorro quente e dos salgados que dão água na boca. A média de preço varia entre R$ 5 e R$ 20. 

Confira os Food Trucks e barracas participantes:

  • Aleatorium – Sanduíches e Porções
  • Bocconcini – Pastéis de arroz frito (Arantino) e Risotos
  • Bike Brigaderô – Brigadeiros de Nutella com Avelã e Brigadeiro com Kitkat
  • Cannolis – Canudinhos fritos e doces com recheios: chocolate, coco e outros
  • Doce de Marias –Pão de mel de colher. Diversos sabores
  • Escondido na Kombi – Escondidinho tradicional (carne seca) e doce (banana)
  • Falafeando – Sanduíche de Falafel, Kibe, Porções e Homus
  • Fome de Leão – Panquecas variadas. Salgadas e doces
  • Holly Pasta – Sanduíche com Almôndega, vinagrete e Creme blue chesee na baguete
  • Home Chef – Hamburgueres vegetariano, acompanhados de queijo e maionese artesanal e os tradicionais de carne (Picanha e Filé mignon)
  • J Dog’s – Especializado em Hot Dogs
  • JK Gastronomia – Philadelphia cheese: Baguete recheada com maminha na cerveja preta, cebola caramelizada e queijo cheddar derretido.
  • Kombosa Shake – Milk Shake de Nutella, leite ninho, chocolate óreo, entre outros.
  • La vera Porchetta – Sanduíche Porchetta com pão ciabata e pedaços macios de torresmo crocante, molho de salsa, um toque de limão siliciano, especiarias e lombo, costela.
  • Le Camion – Hambúrguer gourmet, risotos, massas e saladas.
  • Los Mexicanos – Paletas e Picolés mexicanos
  • Makkarrão Food Truck – Massas simples e recheadas, com uma variedade de molhos
  • Mamma Food – Salgados e Doces Whey Protein
  • Massa na Caveira – Pizzas artesanais
  • Matsuo Sushi – Comida Japonesa: Temaki e hot holls
  • Natortilha – comida mexicana, com Tortilhas e Nachos.
  • Pudim Mania – Pudins: Chocolate Belga, Fava De Baunilha, Pistache e outros
  • Rua Food Truck – Hamburguer gourmet
  • Salve Salve Natural – sucos de frutas e sanduíches naturais
  • Traveling Bike – Drinks leves e refrescantes


Serviço:

20/08/2014

Será que o chocolate querido de muitos pode faltar por conta do Ebola?


Será que o chocolate querido de muitos pode faltar por conta do Ebola? 

O Valor de hoje relaciona os dois.

 "O surto de vírus Ebola no oeste da África, que já causou a morte de mais de 1.200 pessoas, passou a atuar como novo fator de sustentação aos preços internacionais do cacau nos últimos dias. Os países que estão com dificuldades para combater a epidemia, como Libéria e Guiné, fazem fronteira com o maior produtor global da amêndoa, a Costa do Marfim, e estão próximos de Gana, que abriga o segundo maior parque cacaueiro do mundo. Alguns analistas e investidores passaram a temer que um eventual avanço da epidemia para os principais fornecedores da commodity provoque o fechamento de portos e interrompa as exportações de cacau."

(Crédito: http://www.valor.com.br/agro/3660314/ebola-gera-especulacao-com-cacau#ixzz3Aw91S4Sy)

19/08/2014

World Diabetes Tour e Sanofi Diabetes

Um grupo muito animado se aventurou neste sábado, 9 de agosto, na sede da ADJ (Associação de Diabetes Brasil). Famílias atendidas pela entidade e blogueiros de saúde conversaram com os atletas que representaram o Brasil no Desafio Diabetes Tipo 1 - uma Expedição realizada pelo World Diabetes Tour e Sanofi Diabetes. Recém-chegados da escalada, os atletas tiveram o intuito de estimular a discussão acerca dos cuidados com a saúde, principalmente de que com um diabetes bem controlado é possível superar grandes desafios e ter excelente qualidade de vida.

A plateia se envolveu animadamente com os relatos do atleta com Diabetes tipo 1, Alexei Angelo Caio, e do médico do grupo e atleta, Dr. Mauro Scharf, que inspirararam as crianças e adolescentes, seus pais e os blogueiros convidados.

Anteriormente, os atletas participantes da Expedição Machu Picchu já haviam vencido alguns dos picos mais desafiadores do mundo: as montanhas de Nepal, na Ásia, o Mont Blanc, nos Alpes franceses, a Cordilheira dos Andes, na América do Sul e, em 2013, o Kilimanjaro, na África. Este ano o desafio também foi intenso, 12 atletas com diabetes tipo 1 fizeram uma trilha intensa no Peru chamada Salkantay Pass em 4 dias, em que subiram a 4.600 metros de altitude para chegar as montanhas de Machu Picchu.

Alexei e Scharf compartilharam todas as fases do desafio, desde a preparação do organismo para a exigente carga física até as inúmeras dificuldades em superar um caminho estreito, sob chuva, frio e os perigos que as grandes altitudes oferecem à oxigenação do organismo, principalmente aos cuidados com o diabetes.

Segundo os atletas, as dificuldades metabólicas foram meros detalhes na caminhada de aproximadamente 70km, que teve como ponto alto a sinergia entre atletas e médicos, fundamental no controle dos índices glicêmicos e no suporte quando houveram casos de hipoglicemia.

A palestra foi uma oportunidade rica para as crianças e adolescentes, que puderam interagir e perguntar livremente suas dúvidas e curiosidades.

Antes da expedição, as crianças da ADJ haviam assinado uma camiseta para mostrar seu apoio ao time. Os atletas a levaram em sua mochila durante a Expedição e após 4 dias, ao chegar a Machu Picchu, os atletas tiraram muitas fotos com a bandeira. No dia do evento, levaram com eles a camiseta, que também foi assinada por todos os participantes do Desafio e entregaram a ADJ. A camiseta ficará em exposição para inspirar a superarem seus desafios de forma saudável.

"Por meio de cuidados com a saúde e do controle adequado, é possível ter ótima qualidade de vida e driblar o diabetes para alcançar seus sonhos."

Para encerrar o encontro, as crianças fizeram desenhos com suas impressões da aventura e saíram felizes por compartilhar novos sonhos e a vontade de superar limites.



Sobre a  Expedição Machu Picchu:
A aventura reuniu 12 atletas de 8 países, com diabetes tipo 1. O desafio de coragem e superação, rumou até a cidade pré-colombiana pela rota Salkantay, considerado o caminho mais difícil para chegar ao sítio arqueológico. A equipe, formada por diferentes nacionalidades - China, Índia, Jordânia, Brasil, Peru, Canadá, Espanha, França e Estados Unidos -  reunida pelo World Diabetes Tour (WDT) e Sanofi Diabetes.


Sobre Sanofi Diabetes:
A Sanofi Diabetes é um pilar estratégico do Grupo Sanofi e busca oferecer um leque de soluções integradas de saúde (medicamentos inovadores, produtos de consumo, tecnologia e serviços de educação em saúde e apoio), especialmente desenvolvidos para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar dos pacientes com diabetes.

11/08/2014

A celulite não está diretamente relacionada ao consumo de bebidas gaseificadas #vivapositivamente



Como a atriz Patrícia Pillar, eu como o pãozinho do couvert e tomo Coca-Cola normal quando saio para comer fora de casa. Aliás, em casa também, mas é no restaurante que vejo mais caras feias e já ouvi gente me falar coisas como: "vai ter celulite".

#aos41 e com três filhos, nunca tive celulite (nem estria). Acho cansativo explicar e não mostro - mas felizmente também não me escondo na canga na praia ou piscina - que eu não tenho porque minha genética ajuda.

Hoje vi uma notícia que vai me ajudar a explicar para as pessoas esta vantagem. E também, espero, me ajude a ter menos cobranças quando estiver tomando minha coquinha.

A celulite não está diretamente relacionada ao consumo de bebidas gaseificadas. 

É o que explica o cirurgião plástico Guilherme Furtado, consultor do programa "Mais Você", da TV Globo. Ele ressalta que o problema está ligado à genética de cada indivíduo e ao acúmulo de gordura entre a pele e os músculos.

"Uma pessoa que não faz atividade física e tem um músculo um pouco mais atrofiado pode acumular mais tecido adiposo e tende a ter mais celulite. Trata-se de uma característica genética".

"Refrigerantes adoçados podem gerar celulite simplesmente por terem calorias, assim como um biscoito, uma massa branca, arroz branco, farinha e açúcar", explica.

Furtado recomenda o consumo das versões zero ou diet de refrigerantes, que não têm açúcar, como a solução para diminuir o acúmulo de calorias que favorecem o aparecimento da celulite.

De acordo com o especialista, a celulite se forma entre os tecidos conjuntivos logo abaixo da pele, onde a gordura se acumula entre as fibras que ligam a musculatura à pele.

"Aquela gordura que está entre os tecidos conjuntivos se torna tão volumosa que provoca aquele aspecto de casca de laranja", explica.

Furtado explica que, quanto mais gordura acumulada na região dos glúteos e pernas, maior a incidência de celulite naquelas pessoas que possuem predisposição a desenvolvê-la. A solução é uma dieta equilibrada rica em nutrientes, com consumo moderado de açúcares e gorduras.

Para quem já sofre com o problema, a indicação do médico é simples: exercícios físicos para tonificar os músculos e reduzir o tecido adiposo.

"Não tem como falar que vamos curar a celulite, mas podemos amenizar. A principal recomendação é uma alimentação saudável e a prática de atividade física regular", destaca Furtado. 

Aliás, isso me lembrou uma entrevista que vi uma vez com Juliana Paes, na qual ela dizia que o exercício pesado é que segura sua celulite. Sim, a linda da Juliana tem e vive bem com a celulite, viram?

O exercício vai aumentar a capacidade de queimar gordura ao mesmo tempo em que reforça a massa muscular.

"Ao ganhar mais músculos, a pessoa vai precisar de mais energia para mantê-los. Com a queima maior de gordura, vai ter um corpo mais definido e com um teor de adiposidade menor", reforça o cirurgião, que também propõe soluções estéticas como o laser, a radiofrequência e a drenagem linfática para quem quer soluções mais rápidas para as regiões do corpo em que a celulite esteja mais aparente.

04/08/2014

Receita da semana: sobrecoxas sobre cama de batatas bravas

Nesta semana teve #comidadevó para a volta as aulas: fiz o franguinho com batatas da vovó Ita para os ##2nerdsnacozinha.



A receita é super simples e para mãe super ocupada e prática: faça uma "cama" de batatas cortadas em rodelas altas (batatas bem lavadas, sem descascar, cortadas na transversal com 1 a 2cm de altura) e sobre elas acomode sobrecoxas de frango já limpas e temperadas (nosso açougueiro tira boa parte da gordura e deixa a pele só para não ressecar a carne no forno).

Asse forno médio a baixo por 30 minutos e quando estiverem cozidas por dentro, aumente o fogo para secar e ficar mais crocante.

E sobre a crocância, tenho um pequeno truque: antes de aumentar o fogo salpico farinha de rosca e temperinhos (neste foi Lemon Pepper) e rego com um fio de azeite cada um dia pedaços de carne.

Para acompanhar, ao fundo, tem arroz colorido (arroz branco cozido com cenouras e cebolas raladas, que fica cremoso sem precisar de creme de leite e queijo) e farofa de vagem com farinha de rosca.


01/08/2014

Feirinha gastronômica com 25 barracas marca aniversário da Mooca



No dia 17 de agosto, nosso querido bairro, a Mooca, faz aniversário e completa 458 anos —dois a menos que a capital paulista - com muitas festas. Uma das primeiras é no que chamamos de "nosso quintal".

:)

Doces, coxinha, batata, risoto e muitas outras delícias invadem a Mooca no final de semana, dias 2 e 3, a partir do meio-dia, no Clube Atlético Juventus comemora os 458 anos do bairro com uma feirinha gastronômica, que oferece aos visitantes dezenas de opções em 25 barracas.

Um dos destaques é o famoso canolli do Juventus, um rolinho de massa frita recheado de gostosuras como baunilha ou chocolate. Entre os quitutes salgados, estão a coxinha de pato do chef Carlos Bertolazzi e as batatas bravas do restaurante Bra.do.



A entrada é gratuita, mas os pratos são pagos. O Clube Juventus fica na Rua Comendador Roberto Ugolini, 20, Parque da Mooca, São Paulo, SP. O evento acontece no sábado, 02/08/2014, das 12h as 21h, e no domingo, 03/08/2014, das 12h as 20h.



Quem estiver no clima pode aproveitar também a 88ª Festa Nossa Senhora Achiropita.

Durante os cinco finais de semana de agosto, o bairro do Bixiga recebe a tradicional Festa de Nossa Senhora da Achiropita. Iniciada por imigrantes italianos que chegaram à região no começo do século 20, a farta festança chega a sua 88ª edição com 30 barracas de comidas e bebidas, além de uma cantina. As barracas ficam dispostas nas ruas Treze de Maio, São Vicente e Dr. Luiz Barreto.

Os visitantes podem se esbaldar com os pratos típicos como fogazzas, fricazzas e pizzas, além de tradicionais doces e vinhos. Na parte interna, a cantina da Paróquia, as “mamas” da cozinha servem o famoso spaghetti à moda Achiropita. O espaço também oferece aos comilões boa música e dança italianas.

As barracas estão no setor aberto ao público, sem necessidade de ingresso. O acesso à cantina custa R$ 40 para adultos e R$ 20 para as crianças (menores de 10 anos), e é melhor garanti-lo com antecedência. A festa acontece no entorno da Igreja Nossa Senhora da Achiropita, Rua Treze de Maio, 478, Bela Vista, São Paulo, SP. Funciona diariamente de 02 a 31/08 das 17h30 às 22h30 e aos sábados das 18h a meia-noite.

30/07/2014

Programa de agricultura urbana brasileiro chama atenção de japoneses





Um grupo de 14 pessoas, originário do Japão, veio até Curitiba especialmente para conhecer o projeto das hortas comunitárias desenvolvido pela Prefeitura de Curitiba, através da Secretaria Municipal do Abastecimento, em parceria com a Eletrosul, empresa de energia elétrica. 

Outros dois servidores municipais da Prefeitura de Cachoeirinha (RS) também acompanharam o grupo na visita à Horta Comunitária Moradias Paraná, localizada no Bairro Tatuquara e instalada abaixo do linhão da Eletrosul. A horta visitada beneficia 153 famílias.

O chefe da Unidade de Agricultura Urbana, Rodolfo Brasil Queiroz, que acompanhou o grupo (pertencente à filosofia Seicho-no-Iê), disse que os japoneses acharam muito interessante o projeto porque a atividade também traz benefícios secundários. 

"Além dos alimentos produzidos servirem ao consumo das famílias envolvidas, também servem como atividade terapêutica aos participantes." 


Os japoneses também experimentaram a couve-manteiga, espécie que não conheciam. Além de conhecer o trabalho, o grupo obteve informações sobre os programas, que atualmente conta com dez hortas comunitárias que beneficiam 762 famílias

“A agricultura urbana promove a busca da segurança alimentar de um população potencialmente em risco.”

Conheça as ações de Agricultura Urbana, da Secretaria Municipal do Abastecimento, desenvolvidas por meio de dois Programas:

Nosso Quintal - caracteriza-se pelo apoio ao cultivo de hortas em pequenos espaços como quintais de residências, terrenos em escolas, creches e outras entidades/organizações do município. 
Lavoura - caracteriza-se pelo apoio ao aproveitamento organizado de espaços urbanos públicos e/ou privados e pequenas propriedades particulares remanescentes da agricultura familiar de Curitiba, para o cultivo de hortas comunitárias e lavouras.
As ações de Agricultura Urbana objetivam: promover a educação alimentar através do consumo de hortaliças de qualidade, frescas, sem uso de agrotóxicos e de procedência confiável; facilitar o acesso ao alimento e reduzir despesas com alimentação; servir como atividade física e terapêutica para idosos e desempregados; servir como ferramenta pedagógica nas entidades educacionais; gerar renda com a comercialização da produção; conscientizar as pessoas para a preservação ambiental nos espaços urbanos; recuperar áreas degradadas; estimular ações comunitárias e de inclusão social; resgatar a cultura rural no espaço urbano, aproveitando a experiência agrícola dos moradores locais. 
A Secretaria Municipal de Abastecimento disponibiliza técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos e estagiários de agronomia para a realização de treinamentos teóricos e práticos sobre cultivo e manutenção de hortas, assistência técnica e fornecimento de insumos e serviços: sementes e mudas de hortaliças, sementes de cereais, fertilizantes minerais e orgânicos, calcário e preparo do solo para plantio (mecanização agrícola). O prazo de atendimento varia de 6 a 12 meses.