4 de nov de 2011

Cerveja ou vinho?

Sexta-feira já foi o dia nacional da cerveja.bebida, cerveja, vinho, vinho alemão, alimentos saudáveis,
Lembram da música sertaneja nas propagandas de TV? Pois agora teria que ser cantada de outra forma. A cerveja perde (ou cede) lugar a outras bebidas, até mesmo para cervejas diferentes (especiais e caras, que já contam com degustadores e connaisseurs) que competem com vinhos sem deixar nada a desejar. Meu sobrenome do meio, Hoffmann, é minha desculpa para gostar de cerveja escura, de preferência a Xingú, ou o münchen, que é sinônimo de festa na minha cidade natal, Ponta Grossa. Mas eu também gosto de vinhos frisantes (o italiano Lambrusco é um dos favoritos, junto com o nacional Sunny Days da Almaden).
Já sei: vinho branco é coisa de mulher, não é vinho bom, né? Meu marido, de sangue ibérico e adepto dos vinhos tintos encorpados, ainda me fala isto às vezes. Lembro de um quadro no Bom Dia Brasil apresentado pelo jornalista Renato Machado mostrando um panorama da produção alemã de vinhos e do preconceito de que o país faz vinhos de segunda linha, brancos e doces. Em seu programa ele contou que no interior do país velhos mosteiros produzem vinho de acordo com os movimentos da natureza há mais de 500 anos e que atualmente a bebida produzida na Alemanha é apreciada em todo o mundo.
Apesar de "alemãzinha" (risos), consumo tudo com muita moderação, claro, pois sou mãe e tenho que dar meu exemplo. É sobre isto este texto hoje: sobre a bebida como uma forma de troca, de confraternização e uma forma de nos manter até saudáveis. Não sou aficcionada em medicina, mas leio sempre sobre o que me interessa, foi lendo sobre alimentos que ensinei o Enzo a comer bem, usando um livro chamado Alimentos Saudáveis, Alimentos Perigosos, do Reader's Digest. E tenho descoberto que se usarmos as comidas e bebidas dentro da realidade em que elas foram concebidas e eternizadas conseguimos usufruir delas com muito mais saúde e prazer. Nesta semana revivi um livro com que presenteei o Gui no dia dos pais: História do Mundo em 6 copos - Como seis bebidas mudaram os rumos da humanidade, da Zahar, que fala do vinho, cerveja, destilados, chá, café e coca-cola. É um verdadeiro tratado de antropologia e sociologia (e política) mas com linguagem solta que parece um bom papo de botequim.
Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha