12 de abr de 2010

Saiu o nosso menu!

Menu #dinnerinthesky



Ontem finalmente botamos a mão na massa e realizamos o nosso menu. Antes de mais nada, quero dizer (tenho certeza que faço minhas as palavras da Sam), que nos sentimos honrados ao sermos lembrados para participar do "Meu Dinner in the Sky". A oportunidade de estarmos planejando um jantar nas alturas e submeter o nosso menu ao crivo dos Chefs convidados pela Brastemp, foi um desafio maravilhoso, pois junta duas das coisas que mais amamos fazer em casa: cozinhar e receber amigos queridos. O desafio começou com uma provocação, pois convidamos nossos leitores e amigos leitores a opinarem sobre os pratos. Pensamos em estender as sugestões de menu aos leitores, pois nosso sentimento era de partilha, de fraternidade nessa época da Páscoa e queríamos bolar uma refeição agradável e ao gosto dos convidados. Precisávamos colocar nessa balança outras duas variáveis importantes: a praticidade no preparo às alturas além do clima outonal, que seriam fatores presentes e importantes no contexto proposto.

Ai vai o nosso menu:


Entrada: Sopa de Cebola à Francesa, acompanhada de croutons de calabresa: O creme de cebola é elaborado com cebolas refogadas na manteiga e azeite, caramelizadas com uma redução de açúcar e aceto balsâmico e apurada com vinho tinto e condimentos. Este prato é tradicional na cozinha da minha sogra que sempre opta pelo vinho branco, mas a cor e o corpo do tinto, nos parece mais apropriados ao friozinho típico desta época e olha que a 50 metros de altura um bom caldo nos dará mais conforto e  tranquilidade para esperar as demais iguarias. Para acompanhar, preparamos uns croutons com calabresa moída, sugestão da minha prima Glauca, que da Suiça onda mora, nos fez essa sugestão, pois lembra com saudades das rodadas de pizza e "acessórios" que comia na casa do meu pai, quando passava alguns dias em época de férias. A sugestão foi aceita e posso assegurar que o casamento foi perfeito. Obrigado prima, pena que você está tão longe e não pode nos brindar com honra da sua presença. Ah, acrescentamos também uma salada de folhas verdes, com um ninho de fatias de cenoura levemente cozidas ao vapor e moyashi, temperados com aceto balsâmico, azeite de oliva extra virgem e sal marinho, que nos deu um contra-ponto aos condimentos da sopa e preparou o paladar para o prato principal.


Principal: Roast Beef a três pimentas com mostarda em grãos, arroz dourado e beringela napolitana: Os três pratos são uma mistura bem marcante e nos lembram momentos bastante distintos da nossa vida. O roast beef foi preparado com uma peça inteira de mignon super fresco, pedi para o açougueiro desmontar na hora. O tempero é o mais simples possível, apenas com três tipos de pimenta do reino (vermelha, branca e preta - uma singela homenagem ao meu São Paulo) e sal marinho grosso. A simplicidade do tempero é para deixar o paladar livre para saborear o tenro mignon mesclado o sabor forte e presente da mostarda.

O arroz dourado, que foi nossa guarnição, tem um história própria e muito bonita, pois foi um dos pratos da última ceia de Natal da vida da avó da Sam, pessoa por quem ela tem tanto amor que ainda mareja os olhos ao se lembrar. Consiste da preparação de uma farofa de Castanhas do Pará in natura, refogadas até soltar o óleo, cebola ralada e manteiga, além evidentemente do arroz. O último prato foi uma homenagem a nossa experiência de vida em solo japonês. Aprendemos a comer os mais variados pratos da culinária internacional por lá, além, evidentemente de conhecer novos sabores e ingredientes da culinária local. O interessante dos chefs japoneses é que eles utilizavam com maestria os vegetais nos seus pratos. O que nos marcou muito foi a grande variação de pratos utilizando a beringela e pensando nela, compusemos um prato que poderia ser achado em qualquer "trattoria", que é a beringela assada, depois levente temperada, recheada com pomodori pellati e coberta por ninhos de mortadela finamente cortada, nossa homenagem aqui aos maravilhoso sobás feitos de trigo sarraceno com os quais nos deliciávamos por lá.


Sobremesas: Torta de maçã, com sorvete de creme e doce de abóbora com chantily: Quando começamos a namorar, no idos de 1991, a Sam havia aprendido a elaborar a tradicional "apple pie" americana, gentilmente ensinada pela Mariana, uma amiga que estava fazendo intercâmbio e hospedada na casa dos meus sogros. É preparada com maça madura, açúcar de baunilha, manteiga, canela em pó, montadas individualmente com massa folhada para dar leveza e crocancia. O sorvete é contra-ponto, pois derrete aos ser servido junto com a torta ainda quente. Resolvi colocar um pouco de brasilidade na sobremesa e preparei uma tradicional receita de doce de abóbora com leite de coco e coco ralado fresco, cravos e canela, além de um pequena dose de aguardente. Servi com chantily.


Bebidas: Servimos pró-secos branco e  tinto produzidos pela Salton antes da entrada. Para acompanhar o prato principal um Cabernet Sauvignon da Concha Y Toro.


A experiência foi maravilhosa, pois pudemos colocar um pouco do nosso coração em cada prato. Evidente que não poderíamos deixar de registrar que os pratos foram oferecidos para dois amigos queridos, que certamente poderão testemunhas se a mistura de sabores agradou. Cy, Zé, aguardo seus comentários!



Todas as fotos, você poderá ver no nosso álbum #dinnerinthesky do Flickr
Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha