3 de nov de 2010

ONG Banco de Alimentos transforma o desperdício em comida nutritiva e de qualidade

A sugestão de pauta veio da nossa leitora e entusiasta @debydd. Não fomos conferir in loco o desperdício de alimentos no CEASA, mas encontramos uma reportagem muito boa sobre o trabalho da ONG Banco de Alimentos.

A reportagem do programa Ação conta que:



Diariamente, dezenas de quilos de alimentos que iriam para o lixo ganham outro destino. “Para eles aqui ia pro lixo, ia jogar pro lixo, mas pra gente entrega e a creche aproveita todos.”
Verduras, legumes e frutas ganham carona na van da ONG Banco de Alimentos. “A gente vem nesse supermercado todos os dias recolher as doações que eles deixam separados para a gente e a gente coloca nesse saco, amarra e coloca dentro do carro e leva para as entidades.”
O carro, equipado com ar condicionado, percorre as ruas de São Paulo para cumprir a missão. Buscar alimento onde sobra e entregar onde falta. Tudo no mesmo dia, para não perder nada.
“Quando não vem faz falta bastante, por isso que a gente depende muito disso. Aqui é muitas crianças, as crianças dependem muito dessa alimentação”, comenta a cozinheira, Ronia Maria Machado.
O Lar Dona Cotinha abriga 25 crianças e adolescentes. É uma das instituições atendidas pelo Banco de Alimentos. “Eu vou usar a cenoura, fazer uma saladinha. Chegou na hora porque não tinha mesmo, uma saladinha crua para as crianças porque elas adoram e a maçã eu vou dar fruta mesmo para eles”, completa a cozinheira.
Maria Graça Luiza Usui, diretora do Lar, explica que 80% dos alimentados doados são oferecidos para as crianças. “São frutas, legumes, bolachas, pães, é o que eles conseguem e é passado para nós e nós utlilizamos.”
Setenta e dois milhões de brasileiros ainda vivem em situação de insegurança alimentar. O projeto consegue atender 22 mil pessoas por dia. Na empresa que processa alimentos, a qualidade é uma exigência do consumidor final. O que não está dentro dos padrões é doado.
“O produto hortifruti é considerado um produto perecível e ele tem um tempo de vida útil, ou vida de prateleira como a gente chama. Para fazê-los minimamente processado, depois de colhido o produto não melhora a sua qualidade, ele vai só perdendo características. Quanto antes você conseguir processar, melhor. Quando ele está fresco e trugido a gente processa e quando ele não está mais bom para processar mas está bom para comer a gente doa”, conta Alencar Saito, gerente geral.
Além de supermercados e indústrias o Banco de Alimentos recolhe doações de hortifrutis e agricultores. “É legal porque a gente sabe que atende várias pessoas. No comércio você acaba tendo que fazer essas seleções e tem muita gente precisando e a gente sabe que tem um destino legal e acaba abastecendo um monte de crianças, creche, asilo, isso é bacana”, completa o gerente.
O controle do que entra e sai é uma garantia para quem doa e também para quem recebe. Combatendo o desperdício, o Banco de Alimentos arrecada 44 mil quilos de alimentos por mês e 51 instituições são atendidas. Crianças e idosos são prioridade.
No Lar Anália Franco, a ajuda é essencial para garantir a alimentação dos moradores. São quarenta e seis idosos. “Estamos lidando com pessoas, pessoas que vem de diversas regiões, diversos problemas, gente abandonada e principalmente hoje o caso do idoso. Uma instituição sem fins lucrativos que depende de fazer receita pra suprir toda a sua necessidade, acaba sentindo a falta de ajuda então neste particular o Banco de Alimentos acaba sendo pra gente uma ajuda muito importante , muito grande”, diz Gilmar Talarico, fundador do Lar Anália Franco.
Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha