19 de fev de 2013

Receita de chimia caseira de figo (por @arqsteinleitao)


Arquitetando Ideias, chimia, chimia de gigo, coletivo Viva Positivamente, como preparar  chimia de figo, Elenara Stein Leitão, figo, Receita de chimia, Rio Grande do Sul, schimier, Viva Positivamente,


Hoje temos uma ilustre e querida convidada no Conversas de Cozinha: Elenara Stein Leitão, editora do blog Arquitetando Ideias e querida amiga do coletivo Viva Positivamente.

Outro dia vi nas redes sociais ela falando de chimia de gigo e na hora salivei e pedi a receita, perguntando se podia publicar aqui no blog. Ela mandou este passo-a-passo excelente e com direito à história do nome do doce.

Pena que aqui em Sampa eu compro figo por unidade, sempre já no ponto de comer e, por pagar preços exorbiantes por esta fruta deliciosa, acabo preferindo comer fresco do que pensar em fazer doce. Mas quando for ao Rio Grande do Sul eu quero experimentar este, de preferência fazendo um na cozinha da Elenara, conversando e tomando chimarrão enquanto fica pronto!

Chimia caseira
Melhor coisa que tem no mundo é chimia de figo (opinião minha...). Se for caseira e de figo colhido no pé melhor ainda! Em tempo, chimia é como os gaúchos chamam a geleia, vem do alemão “schimier”.
A Lourdes, que é meu anjo da guarda aqui em casa, voltou do interior com as dicas que a Emater dá para o pessoal lá de fora. Uma delas é que para fazer a chimia de figo não é preciso descascar. Essa era a parte mais chata do processo... Querem ver como fazer? Sigam os passos PASSO 1 – colher os figos maduros (essa receita não é para figo verde). Quando colher no pé não se esqueça de proteger as mãos e braços porque o “leite” do fruto queima. E muito! Quando a gente não tem luvas, usa um saco plástico mesmo. Não tem casa, nem sítio, nem pé de figo por perto? Serve comprar uma caixa na feira ou no supermercado.PASSO 2- Lave bem os figos com casca e tudo. Como os nossos são de casa, sabemos que não levaram agrotóxicos e água bastou. Tira a ponta e corta em pedaços que auxilia na trituração. Leva ao processador. (Acho que pode ser no liquidificador também, nunca tentamos). Deixa uns minutos e passa para o passo 3.PASSO 3 – Pasta ficando pronta vai indo para a panela. Não processa tudo de uma vez, dependendo da quantidade de figos, tem que ir fazendo várias vezes. A panela tem que ser grande, tipo tacho. E com tampa porque senão o fogão fica um terror! Colher de pau para mexer. Não tampa tudo, tem que deixar uma fresta para escapar o vapor.PASSO 4 – Mistura na pasta um copo americano de água e 1 ½ Kg de açúcar cristal por quilo de figo. Aqui vai entrar um segredinho. Se o figo for bem docinho, vai precisar menos, por isso coloque meio quilo de açúcar no inicio e restou. Tem que provar, né. Tudo na cozinha tem que passar pelo paladar do cozinheiro. Com a água também. Colocado o copo, se ficar muito duro, coloca mais um pouco. Mexe aos poucos, em fogo baixo. Não pode grudar no fundo. Se quiser pode colocar uns seis cravos da Índia OU um pouco de canela. O OU é importante, é um ou outro. Aqui colocamos cravinhos.Tempo – Vai levar mais ou menos uma hora. Cozinhar é exercitar a arte da paciência. O ponto da chimia é igual ao do brigadeiro (ou negrinho para os gaúchos). Tem que aparecer o fundo da panela. Daí é apagar o fogo, deixar esfriar, colocar nos potes e se deliciar. Com um pão feito em casa, de preferência. Ah, dá para congelar, o pessoal no interior faz uns 60 kg, por exemplo, e congela para o ano.Se quiser fazer uma figada, é só deixar passar do ponto que ela fica dura. Deixa esfriar, coloca numa superfície fria e pode cortar os pedaços.
Arquitetando Ideias, chimia, chimia de gigo, coletivo Viva Positivamente, como preparar  chimia de figo, Elenara Stein Leitão, figo, Receita de chimia, Rio Grande do Sul, schimier, Viva Positivamente,

0 comentários: