5 de ago de 2013

Mitos e Verdades sobre alimentação - e os 5 falsos amigos da dieta



Confesso que eu sabia que faziam mal, mas não consigo deixar de consumir alguns destes "inimigos" da dieta. Continuo tentando.

Como contei no post Estilo Ipanema: viva com saúde sem abrir mão do prazer, nesta terça estarei com blogueiros de saúde e prática esportiva para um dia de imersão num tema que deveria estar na mente de todo mundo que quer ter uma boa dieta: o sódio.

Na palestra Mitos e Verdades sobre alimentação ouviremos do Dr. Carlos Scherr, Doutor em Cardiologia e membro da American College of Cardiology, autor do livro Estilo Ipanema – viva com saúde sem abrir mão do prazer (Ed. Rocco).

Estou lendo o livro e gostando de saber que alguns alimentos são redimidos, enquanto outros, com altas concentrações de açúcar, sódio e gordura, são finalmente "indiciados" como vilões da dieta. 

Neste post reuno 5 alimentos que vi numa entrevista da nutricionista funcional Andréa Santa Rosa Garcia:

- Gelatina: “tem baixa caloria e ajuda na parte do colágeno e das fibras. Mas a do mercado é rica em corante, que gera aumento de inflamação do organismo e dificulta o emagrecimento. Uma opção é usar gelatina incolor. Para dar gosto pode-se empregar suco de uva integral”.
- Adoçante: “diversos estudos mostram que o uso de qualquer tipo de adoçante provoca o aumento do peso corporal devido a alguns mecanismos biológicos que envolvem a diminuição da saciedade e a atrofia das papilas gustativas, o que deixa o consumidor mais propício à compulsão por doces. A ingestão em excesso também pode levar a um comprometimento na absorção de nutrientes durante a digestão. A melhor opção sempre será o mais natural. Sugiro, por exemplo, os açúcares demerara e mascavo orgânicos que sofrem um processo de refinamento menor que os demais. O ideal é que a pessoa se acostume com o gosto dos alimentos e não com o gosto do açúcar ou do adoçante”.
- Pão integral: “normalmente, ele tem 90% de farinha branca e 10% de farinha integral. A farinha branca não agrega valor nutricional, e estimula a produção de insulina e de hormônio anabólico, que aumenta a quantidade de gordura. Para saber se a marca está utilizando mais a farinha integral do que as demais, basta olhar no rótulo. A farinha integral deve aparecer antes das demais farinhas. Já existem marcas que trabalham com a farinha 100% integral. Outras opções interessantes são a tapioca adicionada da chia e os pães sem glúten”.
- Shoyu: “todo mundo acha que é maravilhoso, mas ele tem muito glutamato monossódico, uma substância que gera excitabilidade no sistema nervoso central, o que faz com que a pessoa fique mais ansiosa, irritadiça e até perca a concentração e o foco. Ele também contém muito corante de caramelo. Procure o shoyu macrobiótico (existem três no mercado). Outra dica bacana é diluir o shoyu em limão ou água”.
- Soja: “a proteína da soja é muito difícil de ser digerida, por isso ela dá uma sensação de inchaço. Além disso, para alguns, pode ser um alimento alergênico. A maioria da soja do Brasil é transgênica, ou seja, já sofreu algum processo de modificação genética, por isso recomendo apenas a orgânica. O melhor é consumir no tipo de natto, tofu e em outras formas que não sejam fermentadas”.

Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha