21 de out de 2015

Alimentação saudável diminui risco de câncer de mama #outubrorosa

Para não dizer que deixamos este Outubro Rosa passar, uma noticia que relaciona alimentação e a redução do risco de câncer de mama. Sim, a relação é direta. 

Muitas pessoas já têm consciência de que comer muitas frutas, legumes e verduras ajuda na manutenção do peso e na prevenção de diversas doenças, mas o que muita gente pode não saber é que existe uma forte ligação entre a boa alimentação e a prevenção do câncer de mama.


O que evitar comer:
  • Evidências científicas associam o consumo excessivo de gorduras com o aumento dos índices da doença, especialmente na pós-menopausa, quando há maior correlação entre o teor de gordura da dieta e os níveis séricos de estradiol, o hormônio sexual feminino. 
  • Algumas pesquisas demonstram também uma conexão entre o câncer de mama e a carne vermelha. O alto consumo deste alimento, que também é rico em gordura, pode contribuir para o ganho de peso, um dos fatores de risco para o desenvolvimento da doença.
  • Mulheres que têm baixo consumo de ácido fólico (vitamina encontrada em vegetais de folhas verde-escuro, feijões, gérmen de trigo, peixes, entre outros) e que ingerem álcool regularmente, também estão na zona de risco.
E tem algum alimento que se a gente comer vai previnir?

Segundo Marisa Coutinho, Nutricionista e Gerente de Hotelaria na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, não existem evidências que relacionem diretamente o consumo de vegetais ou frutas com a diminuição do risco de câncer. 

Mas algumas evidências animam:

  • Vitaminas e minerais presentes nas hortaliças e frutas possuem ações antioxidantes que contribuem na proteção contra os danos causados pelo estresse oxidativo, que é quando o organismo sofre com o excesso de radicais livres, e podem auxiliar na redução do risco de câncer de uma forma geral.
  • Pesquisas apontam que os fitoquímicos, substância encontrada em alguns vegetais crucíferos, como brócolis, repolho, couve, couve-flor e couve de Bruxelas, são conhecidos como possíveis agentes anticancerígenos e, além de atuarem como antioxidantes, também aumentam as enzimas de desintoxicação no corpo, alterando os níveis de estrogênio e auxiliando na redução do risco de câncer de mama.
  • Estudos sugerem que o aumento do consumo de fibras também pode reduzir o risco do câncer de mama. De acordo com Marisa, dietas ricas em fibras ajudam na melhora da mucosa intestinal e contribui com o aumento da excreção do estrogênio, hormônio responsável pela ovulação e pelas características sexuais femininas. Esse hormônio, em quantidades alteradas, facilita a proliferação das células e está associado ao aumento do risco de câncer de mama.

Por isso, para diminuir os fatores de risco que contribuem para o aparecimento do câncer de mama, mantenha uma alimentação saudável e faça exames preventivos todos os anos.


Sua saúde agradece!

Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha