18 de nov de 2015

A liberdade é boa!

No último final de semana o Blog Conversas de Cozinha foi convidado para uma passeio no Guarujá à bordo do trimaran de corrida Sodebo Ultim -patrocinado pela Sodebo , empresa francesa especialista em refeições refrigeradas que iniciou as atividades no Brasil em setembro -  a embarcação de design inovador é atração por onde passa, e sua inspiração vem do conhecimento milenar dos polinésios, com adaptações modernas sempre em favor da velocidade. De modo que na comparação, nosso passeio foi o equivalente a “dar uma voltinha” em um fórmula 1, que chega a alcançar a velocidade 45 nós (o equivente a 80km/h) o que no mar é uma velocidade bem grande. 
O trimaran é capaz de fazer a volta ao mundo em aproximadamente 50 dias e atravessar o Atlântico em apenas 12.


Conhecemos o velejador Thomas Coville e sua equipe, que participou recentemente da prova transatlântica Transat Jacques Vabre com sua chegada em Itajaí (SC) ficando em segundo lugar apesar ter liderado grande parte da corrida. Aproveitando a oportunidade, o time fez essa pequena parada em Santos para essa conversa com a imprensa.


CDC - Essa é sua primeira visita ao País?
TC - Não, é a minha segunda visita ao Brasil, mas posso dizer que é um lugar fascinante, é o país do mundo, ao lado da Austrália, que tem mais a ver o esporte à vela.

Como você faz sozinho essas travessias pelo mundo?
Bem, como vocês puderam ver hoje é um trabalho bem físico mas para realizar uma volta ao mundo eu me preparo também mental e emocionalmente.
Uma das coisas que tive que aprender é a realizar as coisas como as mulheres fazem, várias tarefas simultaneamente e programadas com antecedência, vocês são incríveis.
A outra questão importante é estar atento à você mesmo, quando se está num ambiente com mais pessoas, alguém sempre pode te dizer: “Nossa, você está horrível! Já comeu? Não vai descansar? Está deprimido?” Mas quando está sozinho tem que prestar muita atenção em coisas que parecem muito naturais como se alimentar ou ir ao banheiro, qualquer desequilíbrio pode colocar seu objetivo a perder.

E quando você tem uma tripulação com você, como o trabalho funciona?
Acho que são precisos 3 pontos para realizar o nosso trabalho: primeiro nunca esquecer a sua é criança interna, lembrar de como todos somos livres e sem medo na infância e carregar isso para superar os próprios limites; segundo, ser super profissional traçar metas e definir bem as tarefas para todos da equipe e terceiro confiar nas pessoas que trabalham com você, na verdade eu sou o líder nessa empreitada mas esses caras são especialistas em coisas que eu nem imagino como fazer, por isso tenho que confiar a minha vida a eles. Em uma empresa você pode perder dinheiro ou o emprego, mas no mar perde-se a vida.

E qual a dieta para esses períodos mais longos no mar?

Tenho um trabalho, junto com equipe da Sodebo para ajudar a desenvolver alimentos especiais para o que precisamos aqui. Uma alimentação com equilíbrio de nutrientes e sabor também, a hora da refeição tem que ser antes de tudo um prazer, senão vira uma tarefa. Algo que você vai evitar e que obviamente vai prejudicar o seu desempenho.

Pode-se ver que algo que você preza é a liberdade, por acaso já trabalhou em um escritório, por exemplo?
Sim, sou formado em ciência da computação e no meu primeiro emprego fui enviado à Austrália para auxiliar na instalação do TI de uma empresa de navegação. Depois de 6 meses quando meu chefe me chamou de volta para a sede parei para pensar que até então outras pessoas tinham decidido meu futuro - pais, professores, chefes - e que já estava na hora de fazer algo que eu mesmo tivesse escolhido.

Após uma prova como esta não dá vontade de voltar correndo pra casa?
Sim, claro. Mas achei que esse momento era importante, esse contato. Meu objetivo no dia de hoje foi mostrar a vocês que nós estamos todos conectados, muçulmano ou cristão, negro ou branco, homem ou mulher (fizemos esse passeio ainda sob o impacto dos atentados de Paris, e todos estavam obviamente muito chocados) que  nossa experiência no mar pertence também a todos os que ficam em terra.

Qual é a sua relação com a natureza?
Quando você passa muito tempo no mar, observando as ondas, os ventos, as estrelas e a si mesmo passa a ficar maravilhado com a matemática com que o mundo foi escrito. (Proporção Áurea, a constante de 1,61 o Phi) essa equação está em tudo, nas ondas do mar, nos ventos, nas conchas e nos seres humanos, então acho impossível que a vida seja obra do acaso.
Você passa a acreditar em algo maior do que si mesmo. Pode-se chamar isso de natureza, ou pode-se chamar isso de Deus.

Durante o passeio estava presente a diretora geral da Sobebo Brasil, Anne-Charlotte Gourard e conversamos sobre a relação da empresa com o esporte.

CDC - Porque a Sodebo patrocina esse esporte?
ACG- O slogan da empresa é `Sabor de liberdade` e o esporte que mais se encaixa na nossa proposta foi o náutico. Porque o objetivo da marca é esse, que você possa ter uma alimentação de qualidade com praticidade para poder fazer as outras atividades.

Como é o apoio da Sodebo ao esporte?
Patrocinamos o barco, a equipe com os deslocamentos, manutenção e além disso fornecemos suprimentos para empresa para alimentar a equipe durante as competições.

Como é feito o desenvolvimento dos produtos?
Possuímos uma equipe com cozinheiros, especialistas em frios, padeiros profissionais que dedicam-se diariamente para oferecer sempre produtos saborosos.

Os ingredientes são produzidos internamente para a garantia da qualidade, acreditamos que mesmo sendo uma refeição refrigerada, nossos produtos devem ter um sabor de comida caseira e bem preparada.

Mesmo com competidores locais vocês estão apostando no crescimento da marca no Brasil, quais são os projetos da marca a médio/longo prazo no país?
Atualmente trouxemos somente nossa linha Pasta Box de massas prontas e em 2 minutos, sem adição de água oferecemos uma refeição fácil, rápida e saborosa aos nossos clientes, para 2017 nossa intenção é construir uma filial no Brasil para a expansão da marca e iniciarmos a produção local e o objetivo é aumentar a linha de produtos, pois na França temos outros itens, como sanduíches, pizzas e saladas refrigeradas.

A marca é francesa e em quais outros países vocês atuam?
O Brasil é o nosso segundo país que estamos atuando, pois acreditamos que o Brasil por sua grande região metropolitana com uma população urbana que busca uma refeição rápida e de qualidade.







Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha