19 de nov de 2015

Entendendo a "dose padrão" de bebidas alcoólicas



Você saiu com os amigos e quer saber se pode tomar só um chopinho e depois dirigir. A maioria das pessoas sensatas optaria por "ser o motorista da vez" ou "ir logo de taxi". Mas se você precisar de uma medida, reunimos aqui o que é considerado padrão. 

Dose padrão é uma unidade de medida que define a quantidade de etanol puro contido nas bebidas alcoólicas. Ainda não existe um consenso internacional sobre a dimensão exata de uma unidade padrão, com definições diferentes entre os países e organizações.

Em geral, variam de 8 a 14 gramas (g) de etanol puro. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS), por exemplo, estabelece que uma dose padrão contém aproximadamente 10 a 12 g de álcool puro, o equivalente a uma lata de cerveja ou chope (330 ml), uma taça de vinho (100 ml) ou uma dose de destilado (30 ml).

Outras instituições, como Secretaria Nacional de Política sobre Drogas – SENAD (Brasil) e o National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism – NIAAA (EUA) adotam diferentes padronizações. 

Veja tabela comparativa:




Estes valores servem como referencial pois, para tipos diferentes de cerveja, vinho ou destilado, o teor alcoólico pode variar consideravelmente. Ainda, é importante alertar que tais definições são úteis para seguir orientações de saúde, mas nem sempre refletem a quantidade servida habitualmente. Por exemplo, bebidas do tipo “coquetel” ou “batida” podem conter mais de uma dose de álcool.

Vale ressaltar que o tipo de bebida que a pessoa consome não é o fator mais ligado ao prejuízo, mas sim a quantidade e o padrão de uso (por ex.: consumo episódico de 4 doses de álcool em curto espaço de tempo). Assim, ao consumir grandes quantidades de uma bebida que possui baixo teor alcoólico, terá efeito próximo da ingestão de pequenas quantidades de uma bebida com maior teor alcoólico.



A ingestão de álcool interfere nos reflexos e na coordenação motora, além de causar dificuldade de concentração do indivíduo. Os efeitos podem até variar em sua intensidade, de acordo com o tipo físico e estatura, mas o fato é que todos são afetados após a ingestão de bebidas alcoólicas.


O que diz a lei:

A Lei 11.705 de 2008 alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e definiu que a cota de tolerância de álcool é de um décimo de miligrama por litro de ar expelido, na hipótese de aferir sua quantidade através do bafômetro. 

Quem infringe o artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro é punido com multa de 955 reais, sete pontos na carteira e doze meses de suspensão do direito de dirigir veículos automotores.
Além da infração administrativa, embriaguez ao volante também caracteriza crime, previsto no artigo 62 da Lei de Contravenções Penais, o motorista pode ser encaminhado à delegacia e sofrer outras punições legais. 

Não vale a pena, né?

P.S. Para saber mais, visite as páginas “Efeitos do álcool” e “Padrões de consumo do álcool”.
Postar um comentário

Quem cozinha e conversa?

O blog surgiu da vontade de falar de comida, bebida e alimentação saudável, coisas que estão sempre em pauta na nossa cozinha, nos reuniu desde 2009 numa conversa online, como fazia com os papos nas cozinhas de amigos e os eventos deliciosos de gastronomia dos quais este blog tem participado. Tudo isso está aqui, temperado pela vontade de trocar ideias e aprender. Se você também gosta de um papo de cozinha, puxe uma cadeira e junte-se a nós.

E se quiser conversar com a gente: cozinhaconversa@gmail.com

Google+ Badge

Siga-nos no Twitter @conversacozinha